Por que algumas das principais empresas líderes em seus segmentos nos escolhem para conseguir atingir suas metas?

 

 

Para saber a resposta para esta pergunta, vamos te contar uma rápida história. Leia até o final, sabemos que seu tempo é curto, mas mais importante que gastar minutos extras na leitura de um texto é você estar seguro que irá escolher uma consultoria que tenha sinergia com os valores e história da sua empresa.

 

“Eu não nasci numa família rica.

 

Quando criança, no interior de São Paulo, todos os dias acordava pela manhã e sentia o cheiro de leite, chocolate, morango e baunilha antes de ir para a escola, depois recebia um abraço do meu pai que me aquecia naquele ambiente claro, limpo e gelado.

 

Meu pai estava sempre de branco e as vezes acordava de madrugada para começar a fazer seus sorvetes, fechando as portas de sua sorveteria bem depois que eu chegava da escola, muitas vezes eu ia dormir e a sorveteria ainda estava funcionando.

 

Com seu pequeno negócio, ele proporcionou para mim e para o meu irmão a melhor educação possível, bem como o sustento da nossa família, em sua sorveteria não havia processos estruturados, metas e ferramentas de gestão, mas havia um sorvete espetacular, artesanal e muita, mas muita força de vontade.

 

No entanto, chegou um momento que o esforço não era o suficiente para manter a sorveteria do meu pai em pé, e o sorvete embora delicioso, também não fazia mágica ( motivo de algo que me intrigava naquela época, afinal, como um sorvete que é delicioso e vende muito não sustentava a sorveteria?).

 

(Mal sabia que lá na frente eu iria elucidar essa dúvida por experiência própria).

 

E então, do dia para a noite, aquela memória olfativa do leite, chocolate, morango e baunilha não mais pertenciam a minha infância e as portas da sorveteria foram fechadas.

 

Aquilo ficou gravado em minha memória.

 

Na fase adulta (provavelmente motivado inconscientemente pelos acontecimentos da infância) tive uma profunda curiosidade para aprender técnicas que me permitissem dissecar e entender a fisiologia das empresas, eu estava obcecado para saber quais as razões que levavam as empresas ao sucesso ou a falência.

 

Embora eu não tenha conseguido salvar o negócio do meu pai, pois era apenas uma criança, eu queria genuinamente salvar o negócio de outras empresas, havia descoberto minha vocação. 

 

Essa jornada levou eu e meu irmão para a Falconi, para a FGV, para cursos no exterior, para centenas de livros devorados, para cargos estratégicos em empresas bilionárias e aprendemos muito com todas estas experiências.

 

Os principais métodos de gestão estavam dominados e era claro identificar no curto prazo o que cada empresa que eram clientes daqueles lugares que trabalhávamos precisavam fazer para virar o jogo e atingir metas.

 

Isso nos alimentava, mas não nos saciava.

 

Era preciso ter a nossa empresa, o nosso DNA.

 

Era preciso criar a nossa cultura e somar toda aquela paixão, motivada pela nossa história familiar e vocação, com a nossa experiência profissional.

 

Assim nasceu a Miralta, uma consultoria jovem, flexível, que domina as técnicas das maiores consultorias do mundo e tem paixão visceral em atingir metas.

 

Tudo isso, com aquele senso de dono, mão na massa e simpatia de uma sorveteria do interior de São Paulo.